Arquivo da categoria: Moçambique

Retrospectiva 2010

2010 começou igual a quelquer outro ano. Cheio de expectativas, planos e desejo de mudança. Só não esperávamos que fosse pra tão longe, ou melhor, logo ali.

Desde o início a ideia de viver em Moçambique pareceu desafiadora. Quando estava no período de negociação com o Lenilson tivemos uma conversa pelo skype e antes da linha terminar já tinha respondido pra mim mesmo: EU VOU!

E adivinha o que Paty falou:

EU TAMBÉM.

Então vamos.

Então assim que cheguei fiz esse blog pra manter nossas famílias e amigos informados, já que nossos pais não usam orkut e muito menos facebook. Mas com o passar do tempo foi batendo aquela preguiça de escrever e  o mesmo erro de “AHHH!!! DEPOIS EU ESCREVO.” foi cometido diversas vezes.

Mas agora encontrei uma brechinha aqui na agência e junto com uma empolgação de atualizar o blog, vou deixar a net um pouco e  tentar resumir, mais com fotos do que com palavras o que aconteceu comigo e com Paty nesses nove meses de Maputo. Calma! Não se trata de um pequeno bochechudo ainda. : )

Março

Bem recebido.

Abril

Chegada de Paty

Asssim que Paty chegou fizemos nossas primeira viagem.

Nelspruit-Sudwala Caves


Jardim botânico



Maio

Suazilândia – Bushfire

Festival de música internacional que acontece na Suazilândia

Junho

Pretoria

Johannesburg- Copa do Mundo

Museu do Apartheid

Julho

Festa Julina

Serginho e Leo voltaram para o Brasil

Eu e Cauby

Meu aniversário

Agosto

Bilene

Setembro

Conflitos em Maputo

Documentário realizado por Amanda Rossi. Ou Amanda de João.

Amanda e João

Esse casal gente boa passou um tempinho na nossa casa e deixou muita saudade.

Outubro

Menina Stela veio passar uma temporada com a gente.

Inhambane

Conhecemos uma das praias mais bonitas de Moçambique. Também foi nesse lugar que descobrimos que algumas crianças não gostam de ser fotografadas porque têm medo de serem vendidas.

Vejam mais fotos aqui

Kruger Park

Vejam mais fotos aqui

Macaneta

Novembro

Foi assim: Farra, farra e farra.

Dezembro

MFW

Maior evento de moda de Moçambique é produzido pela DDB.

Estou resgatando a vontade de ilustrar. Inspiração não falta.

Cauby voltou para o Brasil e Victor está arrumando as malas pra Portugal

Namaacha

Paramos dois carros entupidos de brinquedos e doamos para crianças carentes.

Ainda tem conteúdo pra mais fatos e fotos. Mas acredito que tenha feito um resumo bacaninha. Como diz a Stela, agora é não perder o rítmo.

Agora é só esperar esse 2011 para continuarmos amando, ilustrando, fotografando, conversando, conhecendo, setindo saudade, chorando, rindo, sentindo raiva, escrevendo, documentando, esquecendo, defendendo, brigando, perdendo, ganhando, vivendo….

Anúncios

Ensaio de uma guerra

O dia 1º desse mês amanheceu em clima de guerra civil. Muita gente foi para as ruas protestar contra o aumento abusivo de gasolina, água, energia, etc. Colocaram barricadas nas ruas, queimaram carros, apedrejavam tudo e todos. A polícia por sua vez com todo o seu já conhecido (des-)preparo, deixou a coisa ainda pior. Reagiram com muita violência numa ação pouco planejada e controlada. Feriram muita gente, mataram muita gente.

Durante todos esses dias de conflito nas ruas, ficamos presos em casa na companhia do casal João e Amanda. Eles vieram de Sampa para fazer intercâmbio e pesquisas e estavam passando uns dias lá em casa. Ele é músico e ela está se formando em jornalismo. Amanda seguiu seu ímpeto de jornalista e foi para as ruas registrar e ver de perto o que estava acontecendo. O resultado é o documentário que você pode ver abaixo.

Essa música raivosa é de Azagaia. Ele é um rapper contestador e é redator aqui na DDB. Sem medo, sai apontando para os responsáveis por piorar a situação dramática do país.


Ida ao supermercado


Estava fazendo a feira e encontrei esse item curioso nas prateleiras. Trata-se de uma granada de plástico cheia de confeitos. Lembro que já vi celular, ursinho, garrafinha e até revolver. Mas granada não. Apesar desses estímulos, o que explode aqui são as risadas da criançada. E isso não tem granada que destrua.

Continuando com as compras, percebi que ia demorar um pouco mais que o normal para comprar tudo que queria. Pois grande parte dos produtos tem as embalagens escritas em árabe.

E agora? Será que esse é light? É normal? Será que é requeijão? : )

Enfim, ele está na geleira. Digo, geladeira. Só mais uma coisa em relação as compras de hoje. Mulheres mulçumanas cobertas quase que 100% pelas burcas são tão comuns aqui, quanto mullheres com shortinhos fazendo a feira no Brasil. Tive a mesma reação em relação a todas elas que cruzaram comigo hoje. Evitei olhar nos olhos.

Tirei essa foto daqui ó


Maputo

Viagem longa demais. A primeira coisa que me perguntaram em johannesburg foi se estava vindo do Rio e se gostava de jogar futebol. Eu disse que torcia pro Vasco, aí todos tiveram a mesma reação “good”, “fantastic”, “I love Vasco” : ).Em Maputo, já no fui recebido pelo simpático brasão do país.

Na casa dos brasileiros que moram aqui foi bacana. Todo mundo gente fina, teve festinha. Conheci um bar chamado GIL VICENTE que lembra um pouquinho o AMICIS. É apertadinho, quente e a música é boa. Gostei.

As pessoas são simpáticas, prestativas e geralmente sorriem com facilidade. Pude perceber que alguns  gostam mais da cultura brasileira. Ontem no bar rolou, Roberto, Jorge Ben entre outros. Já o motorista da agência gosta de Zezé de Camargo. E lógico! Perguntaram sobre as brasileiras.


Primeiro

Pensei: “Meu Deus, O que é que tô fazendo aqui”. Até o último minuto fui construindo minha represa. Não demonstrei tristeza, só confiança e ansiedade. Mas quando o avião levantou voo senti as gotinhas geladas no meu rosto. Podia ter ficado quietinho no meu canto. Podia ter ficado na minha casa que estava aos pouquinhos sendo reformada. Podia ter ficado no esquema casa trabalho. Demorava apenas 5 minutos pra isso.

Podia ter continuado indo para praia aos domingos e depois as vezes almoçar na casa dos meus pais. Podias sim ter continuado muita coisa. Mas um “não posso” me invadiu e disse: “Oxe! Vai não é?!?!” Ainda tava cedo pra botar os pés na mesa. Agora etou em Natal com muita saudade de tudo e de todos que deixei, mas doidinho pra chegar nesse lugar que tanta gente enxerga com repulsa e admiração.

08.03.10